Ordem dos Nutricionistas lamenta falta de nutricionistas no setor social e solidário 0 639

Esta sexta-feira faz um ano desde que a Assembleia da República recomendou ao Governo a presença obrigatória de nutricionistas nas instituições do setor social e solidário. Visto não se ter constatado nenhuma alteração, a Ordem dos Nutricionistas (ON) vem agora lamentar a falta destes profissionais junto da população.

Por isso, a Ordem dos dos Nutricionistas fez chegar ao Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, uma carta na qual questiona o não cumprimento da recomendação feita há um ano atrás.

Em comunicado, Alexandra Bento, Bastonária da Ordem dos Nutricionistas afirma: “Só podemos apresentar cartão vermelho ao Governo, pois não cumpriu com a recomendação da Assembleia da República. O retrato do estado nutricional dos idosos nos lares é preocupante, uma vez que cerca de metade estão em risco de malnutrição. Urge garantir a intervenção de nutricionistas junto desta população mais vulnerável, de modo a que possam contribuir para a inversão dos problemas de saúde que afetam este grupo da população”.

Segundo os dados apresentados, cerca de 21% da população portuguesa tem mais de 65 anos de idade, e 15% dos idosos estão em risco de desnutrição, 39% são obesos, mais de um quarto tem diabetes e 70% dos idosos inscritos nos centros de saúde em Portugal sofre de hipertensão.

Desses dados, há ainda a referir que 4,8% dos idosos em lares estão em situação de desnutrição e 38,7% em risco de malnutrição, enquanto que os idosos não institucionalizados as percentagens são 0,6% e 16,9% respectivamente.

Como tal, a Ordem dos Nutricionistas defende que só com a presença de nutricionistas nestas instituições é possível definir uma alimentação adequada aos utentes, tendo em conta as necessidades e características individuais de cada um.

Envie este conteúdo a outra pessoa