Nobel da Medicina: Cancro será erradicado antes de 2115 170

07 de Dezembro de 2015

O cancro estará erradicado antes dos próximos 100 anos, esta é a opinião de Robert Horvitz, Nobel da Medicina em 2002, partilhada na sexta-feira, durante a conferência “O Desconhecido – a 100 anos de agora”, que teve lugar na Fundação Champalimaud.

No entanto, esta não é uma ideia consensual. Michel Kazatchkine, um físico francês que passou os últimos 30 anos a lutar contra a progressão do vírus HIV/SIDA, acredita que daqui a 100 anos, «o cancro até poderá ser curável», mas não estará erradicado, noticiou o “Jornal de Negócios”.

Para Robert Horvitz, o futuro da saúde passa pela “medicina de precisão”, que permite um tratamento mais eficiente e especializado, «um tratamento que não diga cancro no pulmão direito ou esquerdo, mas que diga a célula, ou células em questão», esclarece Horvitz.

Horvitz prevê que a medicina se torne «puramente ativa e não reativa, isto é, que assente em prevenção e não em tratamento» e se baseie em ciência biomédica. Horvitz também acredita que os pagamentos de tratamentos serão feitos com base em resultados, em que «o paciente se torna consumidor».

Envie este conteúdo a outra pessoa