Menos açucar nos iogurtes, leites e refrigerantes 308

Um estudo realizado pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), denominado por “Monitorização do teor de açúcar em algumas categorias de alimentos disponíveis no mercado: realidade portuguesa em 2019”, mostra que, em comparação com 2018, há uma redução do teor de açúcar adicionado nos iogurtes, leites e refrigerantes.

O Departamento de Alimentação e Nutrição (DAN) do INSA, avaliou o teor de açúcar de iogurtes sólidos e líquidos, leites aromatizados e refrigerantes recorrendo aos dados recolhidos em sites das principais cadeias de distribuição alimentar em Portugal, durante o ano de 2019, e comparou com os valores recomendados pela Estratégia Integrada para a Promoção da Alimentação Saudável (EIPAS).

Nos 305 iogurtes sólidos avaliados, “55 apresentaram teores de açúcar total (rotulado) de acordo com as recomendações da EIPAS para 2020, de 5g/100g”, indica o estudo. A mediana de açúcar das amostras foi de 11,5g/100g.

Dos 208 iogurtes líquidos analisados, a mediana de açúcar foi de 11g/100g. Mas, neste caso, como a informação nutricional é rotulada por 100g, não foi possível compará-la com os 2,5g/100 ml recomendado como teor máximo de açúcar pela EIPAS.

Quantos aos 169 refrigerantes analisados, “a mediana para o teor de açúcar foi de 4,5g/100ml, verificando-se que 47 cumprem as recomendações (2,5g/100ml)”. “Nesta categoria, verificou-se que nos produtos com baixo teor de açúcar este componente foi parcial ou totalmente substituído por adoçantes”, indica o estudo.

Neste ponto, a investigação sugere que se façam “novos estudos que avaliem o impacto do aumento da exposição/consumo de adoçantes, atendendo aos limites máximos admissíveis”.

Nos 31 leites aromatizados avaliados, “a mediana foi de 9,3g/100ml e o valor mínimo observado correspondeu a 4,1g/100ml, encontrando-se ainda acima do valor desejado de 2,5g/100ml”.

Este estudo conclui que apesar dos valores não serem perfeitos em muitos dos produtos analisados, a boa notícia é que as medianas de açúcar por 100 gramas registadas agora são inferiores às detetadas no estudo de 2018, “o que revela um esforço da indústria no sentido da redução”.

Os investigadores consideram que este “esforço para a redução do teor de açúcar adicionado terá que continuar, especialmente para as categorias dos iogurtes, o que evidencia a colaboração da indústria alimentar na melhoria dos produtos destas categorias que disponibiliza ao consumidor”.

Também nos refrigerantes a mediana apurada “indica a necessidade de a indústria baixar este valor para se atingir a meta da EIPAS”.

Pode consultar o estudo aqui.

Envie este conteúdo a outra pessoa