Médicos oftalmologistas alertam: o glaucoma não tem cura, mas tem tratamento que evita a cegueira 620

A Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO), no âmbito da Semana Mundial do Glaucoma, alerta a população portuguesa para a importância do diagnóstico precoce da doença e seu tratamento. De acordo com o Relatório sobre Visão da Organização Mundial de Saúde (OMS), existem 64 milhões de pessoas em todo o mundo com glaucoma[1], uma doença que se apresenta como a principal causa de cegueira irreversível no mundo. Apesar de não ter cura, o glaucoma tem tratamento e quanto mais precoce for o seu diagnóstico, maior a probabilidade de impedir a progressão da doença e, assim, evitar a cegueira irreversível. Sob o mote ‘No glaucoma, tempo é visão’, a SPO pretende, com esta semana, alertar a população portuguesa para o que é o glaucoma e de que forma o diagnóstico precoce é essencial para evitar a progressão de uma doença que, apesar de não ter cura, tem tratamento.

Diagnóstico
O diagnóstico precoce do glaucoma é determinante e há factores de risco, como a história familiar, que devem alertar para a doença: o glaucoma pode ser 10 vezes mais frequente quando existe um familiar direto (mãe, pai, irmão, irmã) portador da doença. Neste caso, sempre que haja alguém na família com glaucoma, a avaliação por oftalmologista é fundamental. Paralelamente, o rastreio do glaucoma está recomendado a partir dos 40 anos de idade, ou antes, caso existam outros fatores de risco, como a hipertensão ocular, alta miopia ou tratamento prolongado com corticóides. Também nos afrodescendentes a doença é mais frequente e potencialmente mais grave. Neste sentido, a consulta regular com um médico oftalmologista para efetuar uma avaliação ocular aprofundada, que inclui medir a pressão ocular e avaliar o estado do nervo ótico, é um comportamento essencial no que toca ao diagnóstico precoce e à prevenção.

Tratamento
Estima-se que mais de 50% das pessoas que sofrem de glaucoma, não saibam que têm esta doença. São cerca de 100 mil os portugueses que sofrem de uma patologia que os médicos oftalmologistas designam como ‘o ladrão silencioso da visão’, devido à ausência de sintomas durante a maioria do seu curso. Apesar de silencioso, aproximadamente 90% da cegueira relacionada com o glaucoma seria evitável com tratamento adequado e precoce. Para o correto tratamento da doença é necessário identificar o tipo de glaucoma do doente. Na maior parte dos casos, o tratamento assenta na aplicação de colírios (gotas para os olhos), com o objetivo de controlar e reduzir a pressão intraocular. Já o tratamento com laser está indicado em alguns subtipos de glaucoma. Por fim, a cirurgia pode ser imperativa quando não é possível controlar a doença com a utilização de colírios, sendo que, em alguns tipos de glaucoma, pode até ser a primeira opção de tratamento. Em qualquer dos casos, o tratamento não melhora a visão, não anula os danos que já ocorreram na função e estrutura do nervo ótico, mas impede a progressão da doença e permite que, quando instituído atempadamente, o doente preserve a sua visão.

Teresa Gomes, oftalmologista e coordenadora do Grupo Português de Glaucoma, reforça a importância do diagnóstico: “O glaucoma é a primeira causa de cegueira irreversível no mundo, no entanto quando diagnosticado precocemente e adequadamente tratado, a probabilidade de cegueira é muito reduzida. É importante ainda perceber que os glaucomas não são todos iguais e que o diagnóstico do subtipo de glaucoma deve ser preciso, por forma a adaptar o tratamento a cada caso. Este tratamento irá permitir o atraso ou até mesmo impedir a progressão da doença. O diagnóstico atempado de glaucoma é fundamental, sim, mas também é fulcral um acompanhamento regular, através da monitorização de parâmetros como a pressão intraocular e realização de exames como os campos visuais no sentido de confirmar a estabilidade da doença”.

A Semana Mundial do Glaucoma, promovida pela Associação Mundial do Glaucoma, assinala-se entre os dias 12 e 18 de março, com mais de 500 atividades por todo o mundo que têm como principal objetivo promover o conhecimento da população sobre esta doença e o diagnóstico precoce, por forma a eliminar a cegueira provocada pelo glaucoma.

Em Portugal, o Grupo Português de Glaucoma, da SPO, vai promover no dia 13 de março, às 21:30, o webinar ‘Glaucoma Pediátrico’ direcionado a profissionais de Medicina Geral e Familiar, Pediatria e Neonatologia. As inscrições estão abertas no website da SPO. Já nos dias 14 e 15 de abril irá decorrer, em Albufeira, a Reunião Anual do Grupo Português de Glaucoma onde serão discutidas as mais recentes novidades sobre esta doença.

Envie este conteúdo a outra pessoa