Maria Flora Correia: “É um privilégio lançarmos pessoas no mercado da investigação” 485

O 16.º Congresso da Sociedade Portuguesa de Ciências da Nutrição e Alimentação (SPCNA) / 8.º Congresso Low-cost de Nutrição acontece nos dias 18 e 19 de novembro, no Hospital das Forças Amadas, no Pólo Porto.

Ainda sem um programa completo, que aguarda confirmações por parte dos oradores, Maria Flora Correia, presidente da SPCNA, avança que a “obesidade, a genética e qual o papel da nutrição, a restauração hospitalar e futuras fontes de ingestão de proteína animal sustentável” fazem parte do lote de temas com destaque nesta edição. Também a “microbiota, a política na nutrição e o doente em paliativos” serão destacados no congresso.

Com a submissão de trabalhos disponível até dia 30 de outubro, a presidente da SPCNA afirma que as “áreas da nutrição clínica e da restauração são, fundamentalmente”, as mais recebidas pela sociedade que espera voltar a receber entre 200 a 250 pessoas no salão do Hospital das Forças Armadas.

Maria Flora Correia reforça a valorização que o congresso dá às comunicações livres. “É muito importante haver um espaço onde os recém-licenciados possam apresentar”, garante, ao explicar que “habitualmente é a primeira vez que estão presente a um público especializado”. Este “estímulo” justifica o facto deste 16.º congresso “não ter muitos temas” mas dar “muito espaço a comunicações livres”.

SPCNA procura “estimular a divulgação de informação sobre nutrição e alimentação”

“É um privilégio para nós lançarmos pessoas no mercado da investigação”, continua. Pessoas essas que “vão apresentar o seu trabalho e ser sujeitos a um crivo de pessoas que estão cientificamente bem preparadas para discutir os trabalhos que eles apresentam”, conclui a também professora catedrática na Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FCNAUP), professora convidada na Universidade Lusófona de Lisboa, investigadora e nutricionista no Hospital de São João, no Porto.

Recentemente reeleita presidente da SPCNA – a sua lista venceu as eleições a 2 de julho – Maria Flora Correia, que foi membro-fundador da sociedade criada em 1993, admite que depois de um mandato de “azar” devido à pandemia, foi possível retomar o contacto “com a indústria, associações com pessoas com problemas de saúde (ajudadas por um comité científico)”, bem como realizar palestras em escolas.

Quase 30 anos depois da sua criação, o objetivo da SPCNA mantém-se: “estimular a divulgação de informação sobre nutrição e alimentação de uma forma correta, que coisa que muitas vezes vemos não ser feita”. Aceda a todas as informações para o 16.º Congresso da Sociedade Portuguesa de Ciências da Nutrição e Alimentação (SPCNA) / 8.º Congresso Low-cost de Nutrição aqui.

WordPress Ads
Envie este conteúdo a outra pessoa