IPST apela aos portugueses para doarem sangue antes de ir de férias 453

O Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST) apelou à população para dar sangue antes de ir férias.

O pedido foi feito à agência Lusa, pela presidente do IPST, Maria Antónia Escoval.

Apesar de momento, “a situação estar estável com as reservas características desta altura do ano”, já se sente “a recuperação da atividade dos hospitais”.

Maria Antónia Escoval salientou a importância deste gesto, que deve ser realizado de “forma faseada ao longo do ano”, porque durante todo o ano existe necessidade de sangue e componentes sanguíneos.

“São necessárias cerca de 1.000 unidades de sangue todos os dias nos hospitais portugueses e, por isso, todos os dias temos necessidade de que haja doadores”, indicou.

Para além disso, os componentes sanguíneos têm um prazo de armazenamento, nomeadamente os concentrados eritrócitários, que perdem a validade ao fim de 35 a 42 dias, e as plaquetas, ao fim de cinco a sete dias.

Por isso, a presidente do ISPST afirmou que “seria bom” que as pessoas se ausentam de férias que fizessem a sua dádiva “antes de partirem para o gozo das merecidas férias”.

“Aqueles que nunca fizeram, é uma ótima oportunidade de fazer a dádiva pela primeira vez”, disse Maria Antónia Escoval, salientando que no ano passado houve cerca de 27 mil novos dadores, mais 2% do que em 2019, o que disse ter sido “muitíssimo bom para a dádiva de sangue em Portugal”.

Para reforçar as reservas de sangue e componentes sanguíneos, o IPST realiza sempre, nesta altura do ano campanhas, em parceria com outras entidades.

Envie este conteúdo a outra pessoa