Estudo associa carga ácida das dietas ao aparecimento de asma em crianças obesas 0 247

Investigadores da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FCNAUP), publicaram na revista científica Nutrients um estudo que mostra que a carga ácida das dietas, provocada por alimentos ricos em proteínas, “pode estar relacionada” com o desenvolvimento de asma em crianças com excesso de peso ou obesidade.

Os investigadores analisaram dados sobre o diagnóstico de asma, a função pulmonar (pois o pulmão tem um importante papel no desenvolvimento da asma e no sistema de amortecimento da carga ácida) e a ingestão alimentar de 699 crianças do Porto, com idades entre os 7 e 12 anos, sendo que destas, 156 apresentavam excesso de peso e 92 obesidade.

Além destes dados, os investigadores recorreram também uma equação de potencial de carga ácida renal (PRAL) que permite determinar se os alimentos são promotores de produção de ácidos e apresentam valores positivos como a carne e o peixe, ou se tem precursores alcalinos e apresentam valores negativos como as hortícolas e a fruta.

A análise destes dados mostra algumas “limitações”. Uma delas é a incapacidade de estabelecer uma relação causal entre a carga ácida nas dietas e o desenvolvimento de asma, contudo o estudo sugere um “vínculo” entre a obesidade e a asma, destacando a necessidade e importância de uma dieta rica em vegetais e frutas.

Envie este conteúdo a outra pessoa