Crianças apanham pouco sol, estendendo-se a recomendação de suplementos de vitamina D 0 41

Os estudos revelam falta de vitamina D nas crianças, consequência do fraco aproveitamento do sol ao brincarem menos na rua. A pediatra Carolina Prelhaz afirma que é por este motivo que os médicos já recomendam suplemento de vitamina D além do primeiro ano de vida.

A recomendação é que todos os bebés com duas semanas comecem a tomar vitamina D. «Todos estão recomendados a iniciar, pela segunda semana de vida, uma gota de vitamina D oral durante o primeiro ano e já há recomendações para se estender isto um bocadinho mais”, explica a pediatra Carolina Prelhaz à rádio “TSF”.

A pediatra explica que tal se deve à falta de aproveitamento do sol: “Não saímos de casa. Saímos no verão, mas depois, no resto do ano, ou está muito frio, ou está a chover, e as crianças brincam muito menos na rua, estão muito mais fechadas. Claro que há honrosas exceções, mas, no geral, temos alguma falta de vitamina D. Há estudos sobre isso e cada vez mais se sabe as repercussões que isso terá a nível cardiovascular e da mortalidade».

Como é sabido, a exposição solar é essencial para a produção de vitamina D, uma vitamina lipossolúvel que não existe naturalmente em muitos alimentos (salmão, atum, cavala ou leite têm), mas que ajuda ao fortalecimento dos ossos e no controlo e prevenção da diabetes e a proteger o coração. A exposição solar é imprescindível para que o processo de síntese desta vitamina se suceda.

Envie este conteúdo a outra pessoa