CHUC apresenta novo equipamento no País que promete acelerar o diagnóstico e terapêutica na área da Medicina Nuclear 1431

● Novo equipamento traz consigo a promessa de grande impacto na resposta do SNS no serviço de Medicina Nuclear.

● Com o novo equipamento, é possível aumentar em 25% o número de doentes agendados para Cintigrafia de Perfusão do Miocárdio.

Lisboa, 29 de novembro de 2023 – O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) apresentou na inauguração do dia 23 de novembro, um novo equipamento no País com uma tecnologia diferenciadora, que permitirá a obtenção de imagens em 3D instantaneamente, aumentando o detalhe e precisão das mesmas, o que se traduz numa melhoria significativa, tanto ao nível do diagnóstico como de terapêutica, no serviço de Medicina Nuclear, reforçando a resposta do Serviço Nacional de Saúde nas áreas da Cardiologia Nuclear, Neurologia Nuclear e Oncologia.

Este novo equipamento está apenas disponível em Coimbra, trazendo vantagens a três níveis: produtividade, qualidade de imagem e novos parâmetros de quantificação. A aquisição de imagens mais rápida permite aumentar a produtividade: já foi possível aumentar em 25% o número de doentes agendados para Cintigrafia de Perfusão do Miocárdio e na área da Neurologia é possível adquirir o exame em metade do tempo, quando comparamos com os sistemas convencionais. Por outro lado, a obtenção de parâmetros avançados de quantificação também permite extrair mais informações de cada exame, aspeto particularmente importante na Cardiologia Nuclear e nos estudos oncológicos obtido após terapêuticas com radiofármacos.

O equipamento destaca-se pela tecnologia de ponta da GE HealthCare, com a nova geração de detetores digitais CZT (Telureto de Zinco e Cádmio) e a versatilidade do inovador anel dos detetores, que promete revolucionar a abordagem do hospital no diagnóstico e terapêutica, proporcionando benefícios notáveis para doentes e profissionais de saúde na área da Medicina Nuclear.

Segundo Gracinda Costa, diretora do serviço de Medicina Nuclear do CHUC, o equipamento “representa uma verdadeira revolução no mundo da Medicina Nuclear. Estamos apenas a começar a desbloquear o seu potencial. Com a versatilidade do inovador anel dos detetores, adaptável à localização dos órgãos em estudo, permite-nos redefinir como exploramos os estudos cintigráficos, sobretudo em cardiologia, neurologia e após tratamento com radiofármacos. A capacidade de realizar aquisições simultâneas com múltiplos isótopos em um único exame, a possibilidade de reduzir a dose de radiação ionizante ao paciente, a acuidade da quantificação, o impacto positivo na qualidade de imagem e na produtividade, abrem oportunidades inovadoras para a prática clínica.”

Com elevada importância nas cintigrafias cardíacas e do sistema nervoso central, este equipamento veio também transformar a resposta nos estudos de Teranóstica, um novo conceito que alia o diagnóstico e a terapêutica, ao fornecer imagens de precisão e alta qualidade, permitindo expandir o horizonte do tratamento personalizado e transformar a inovação na área da Teranóstica. Isto porque o exame obtido após o tratamento fornece um conjunto de dados que permite conhecer a dose de radiação fornecida às lesões e estudar, posteriormente, a relação entre essa dose e a resposta terapêutica obtida. Paralelamente, possibilita a avaliação dos danos da radiação nos tecidos normais.

A inauguração no CHUC não apenas marca um momento histórico para a medicina nuclear em Portugal, mas também destaca o compromisso contínuo da instituição em oferecer cuidados de saúde de última geração.

Rui Costa, Diretor Geral da GE HealthCare em Portugal, refere: “por meio das diferentes áreas da GE HealthCare, pretendemos reforçar o nosso compromisso em atender às necessidades da prestação de cuidados ao doente com a implementação deste tipo de equipamentos médicos no país, com fim último em entregar a melhor prestação de cuidados aos doentes ”.

Envie este conteúdo a outra pessoa