Bolachas e biscoitos sem glúten ou lactose têm alto teor de gordura e de sal 0 738

Os produtos de pastelaria sem glúten e/ou sem lactose são cada vez mais procurados pelos portugueses, muitas vezes só por serem considerados mais saudáveis, mas, afinal, têm teores de gordura e de sal que excedem os níveis recomendados.

Um estudo, realizado por investigadores do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), analisou 12 produtos de pastelaria – vários tipos de biscoitos, bolachas, croissants, madalenas -, dos quais oito sem glúten e quatro sem glúten e sem lactose.

As análises revelaram que o teor de gordura total variou entre 7,05 e 28,4 gramas (g) por cada 100 g para “os biscoitos tipo champanhe” e as madalenas, respetivamente. Os autores notam que a dose de referência para a ingestão de gordura num adulto é de 70 g por dia, o que significa que uma madalena (30 g) corresponde a 12% da dose diária.

Os investigadores lembram ainda que a ingestão de alimentos ricos em gordura, nomeadamente em ácidos gordos saturados, está muitas vezes relacionada com um aumento do colesterol e do risco de doença coronária, daí que o seu consumo deva ser moderado.

Em relação ao sal, 83% das amostras avaliadas apresentaram um teor superior a 0,3 g/100 g. A investigação recorda que, para a Estratégia Integrada para a Promoção da Alimentação Saudável e de acordo com os regulamentos europeus, os alimentos só são baixos em teor de sal se não excederem as 0,3 g de sal/100 g. As “bolachas tipo crackers” sem glúten têm quatro vezes mais: 1,22 g/100 g. Valores demasiado elevados, sobretudo quando se sabe que a ingestão excessiva de alimentos ricos em sal está relacionada com o aumento do risco de doenças crónicas, como a hipertensão arterial.

Em conclusão, os investigadores alertam que as alterações necessárias à formulação deste tipo de alimentos podem ter um impacto significativo na sua qualidade nutricional e segurança e chamam a atenção para a necessidade de se definirem “estratégias para a reformulação destes alimentos, sobretudo porque frequentemente são considerados mais saudáveis pelo consumidor por serem isentos de glúten e/ou lactose”.

Envie este conteúdo a outra pessoa