ASAE instaura mais de 200 processos-crime por fraude nos alimentos 430

09 de Dezembro de 2015

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) instaurou 240 processos-crime relacionados com práticas fraudulentas e enganosas para o consumidor.

«As práticas fraudulentas verificam-se mais nos setores da carne e produtos cárneos, no azeite, nos produtos lácteos, nas bebidas alcoólicas, nomeadamente, as aguardentes e vinhos», indica fonte oficial da ASAE.

Estes atos podem pôr em causa a saúde pública da população, mas por vezes o consumidor, é simplesmente enganado, sem que a sua saúde seja comprometida. Como foi o caso da carne de cavalo incluída nas lasanhas congeladas sem que a lista de ingredientes fizesse menção a esse componente, noticiou o “Público”.

Os rótulos são a primeira fonte de informação dos consumidores, em relação às características dos produtos. As novas regras para os rótulos, em vigor desde dezembro de 2014, introduziram dados novos nas embalagens como os valores diários de referência relativos ao sal ou açúcar, por exemplo, e são encaradas pela indústria como positivas. O setor «tem-se adaptado bem às exigências legais e também às exigências do próprio consumidor, que se tem revelado ao longo dos anos cada vez mais consciente do que consome e qual o impacto do tipo de alimentação na sua saúde», explica Pedro Queiroz, diretor-geral da Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares (FIPA).

Envie este conteúdo a outra pessoa