Alimentação saudável e sustentável em simultâneo 389

Muito se fala da importância de se ter uma alimentação saudável, mas nem todos associam este conceito à sustentabilidade. E pode-se ter os dois em simultâneo. Quem o diz é o “Jornal Económico”, que num artigo feito em conjunto com a DECO.

A sustentabilidade não é mais do que “garantir a sobrevivência dos recursos naturais no mundo, adotando estratégias altamente eficazes que assegurem a sobrevivência do ser humano hoje, mas sem prejudicar as gerações futuras”, explica o Jornal Económico, e acrescenta ainda que “para extrair os alimentos da terra é necessário desgastar os solos, emitir gazes para o meio ambiente, incluindo a grande questão da distribuição, ou seja, o transporte dos alimentos até à sua casa”.

Por isso, para se ter uma alimentação saudável, garantir a sustentabilidade e reduzir a pegada ecológica as escolhas têm de passar pelo consumo de alimentos sazonais e locais, de forma a evitar os gastos de transporte, evitar o desperdício alimentar e seguir a roda dos alimentos.

“Tente respeitar as proporções das diferentes fatias da roda dos alimentos. Dê prioridade ao consumo de produtos de origem vegetal na sua alimentação diária. Limite o consumo de carnes vermelhas, pois a sua produção requer grandes áreas de terreno, água, energia e a própria alimentação do gado. Opte por produtos biológicos pois não recorrem da fertilização química. São melhores para a sua saúde e para o ambiente”, aconselha a DECO no artigo.

Outro dos conselhos dados é evitar o desperdício alimentar, aproveitando as sobras.

“É também importante, quando for às compras levar o seu saco para os produtos em granel”, indica a DECO.

O artigo lembra ainda as más escolhas de quem opta por “fast-food”, pelas “comidas pré-feitas, com altos valores calóricos, com baixo conteúdo de proteínas e vitaminas essenciais”.

“A comida do género fast food, contém mais produtos e químicos para manter-se sempre “fresca” e por mais tempo, para não mencionar ainda a forma de como é servida. Normalmente, embalada em plástico. Portanto, pode concluir que para além dos efeitos negativos na sua saúde é também um tipo de comida prejudicial ao meio ambiente”, conclui o artigo.

 

 

 

 

Envie este conteúdo a outra pessoa