África do Sul enfrenta escassez de ovos e carne frango devido a surto de gripe aviária 1027

A África do Sul enfrenta nos próximos meses uma escassez de ovos e de carne de frango devido a um novo surto de gripe aviária que afeta atualmente duas províncias do país, foi esta sexta-feira anunciado no país africano.

“A gripe aviária já provocou escassez de oferta de ovos no mercado e espera-se que a oferta de carne de aves na cadeia de valor possa ser afetada negativamente nos próximos meses”, revelou o Grupo Astral Foods, principal produtor sul-africano, citado pela Lusa.

Na informação ao mercado, citada pela imprensa local, o produtor sul-africano indicou que as regiões do país mais afetadas pelo atual surto de gripe aviária, H7N6, são as províncias de Gauteng, onde se situa Joanesburgo, e de Mpumalanga, que faz fronteira com o reino de Essuatíni e Moçambique.

“O surto de gripe aviária é o pior que a África do Sul já testemunhou e vai muito além do impacto sentido pela gripe aviária H5N8 em 2017”, referiu.

A empresa sublinhou que a atual crise de eletricidade afetou a indústria avícola, agravando substancialmente os seus custos operacionais.

“Os custos totais em resultado dos cortes de eletricidade, incluindo custos de capital na ordem de 200 milhões de rands (9,9 milhões de euros) no exercício financeiro [até 31 de março] ascenderam a cerca de 1,9 mil milhões de rands (94,2 milhões de euros)”, indicou o principal produtor sul-africano de carne de frango.

A empresa referiu que a despesa com geradores a gasóleo para colmatar diariamente os cortes de eletricidade contínuos ascende a 45 milhões de rands (2,2 milhões de euros) por mês.

A Associação Sul-Africana de Avicultura (SAPA, na sigla em inglês) disse também à imprensa local que o abate de galinhas poedeiras devido ao atual surto de gripe irá também agravar a escassez de ovos no mercado.

“Já perdemos mais de 25% da produção nacional só esta semana”, adiantou a responsável da organização, Abongile Balarane.

Segundo a Organização Mundial da Saúde Animal (WOAH, na sigla em inglês), o primeiro surto da gripe aviária surgiu no passado mês de maio na província sul-africana de Mpumalanga.

As autoridades sul-africanas indicaram que a gripe aviária HPAI “é uma doença controlada” na África do Sul.

“As explorações que produzem carne de frango e ovos serão colocadas em quarentena, não podem abastecer o mercado”, afirmou à imprensa local Themba Sikhakhane, responsável pelos serviços de veterinária no Departamento de Agricultura na província de KwaZulu-Natal, sudeste do país.

Envie este conteúdo a outra pessoa