Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia reforça urgência para a prevenção do cancro do intestino 926

O Dia Mundial da Saúde Digestiva assinalou-se no passado domingo, dia 29 de maio, e a Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia (SPG) associou-se à Organização Mundial de Gastrenterologia (WGO), que lançou o mote “Urgência para a prevenção do Cancro do Intestino”. Assim, a SPG usou também a data para arrancar com o Mês da Saúde Digestiva, que se desenrola até ao final do mês de junho.

A SPG, citando dados da United European of Gastroenterology, relembra que morrem em média 11 portugueses devido ao cancro colorretal. Com a sobrevivência cinco anos após o diagnóstico a ser de 50%, este número salta para 90% se o diagnóstico for conseguido precocemente, a SPG apresentou este ano uma campanha que apela aos portugueses para estarem atentos e serem ativos no diagnóstico precoce, normalmente através de uma colonoscopia e consequente ação preventiva, se possível a partir dos 45 anos.

“A SPG está empenhada em contribuir para o aumento da consciencialização mundial sobre os fatores de risco do CCR, os benefícios do rastreio e as ferramentas práticas para implementar programas de rastreio e prevenção do CCR em todos os países” refere Guilherme Macedo, atual presidente da SPG e da WGO.

Em comunicado, a SPG relembra que “a importância do rastreio por colonoscopia é reforçada pelo facto de esta poder proporcionar um tratamento curativo, preventivo, que é tanto mais eficaz quanto mais precoce for o diagnóstico e deteção das lesões precursoras (pólipos intestinais). A colonoscopia é, portanto, o método de rastreio e prevenção por excelência, ao permitir o diagnóstico e o tratamento no mesmo ato, promovendo uma efetiva prevenção da doença”

Além do tipo de dieta, a obesidade, o tabagismo e o consumo de álcool estão fortemente associados ao desenvolvimento de cancro colorretal.

Envie este conteúdo a outra pessoa