ZERO lança aplicação para verificar substâncias quimicas perigososas nos produtos 542

A ZERO – Associação Sistema Terrestre Sustentável disponibiliza, a partir desta sexta-feira, uma aplicação para telemóvel denominada por Scan4Chem, que permite conhecer a presença de substâncias químicas perigosas nos produtos.

Esta é uma parceria da ZERO com a AskREACH, no projeto Europeu LIFE AskREACH, que abrange 13 Estados-Membros da UE.

“Este projeto tem como um dos seus objetivos a disponibilização de uma aplicação para telemóvel que permite aos cidadãos saberem se os produtos que compram contêm substâncias que suscitam elevada preocupação (cancerígenas, tóxicas para a reprodução, persistentes, bioacumulativas, que interferem com o sistema hormonal, entre outras)”, indica a ZERO no seu portal.

Os testes já realizados mostram que “produtos como brinquedos, mobiliário, roupas, entre outros, podem conter substâncias químicas perigosas, que afetam a nossa saúde e o ambiente de forma negativa. Estas substâncias entram no nosso corpo através dos alimentos, do contacto com a pele ou do ar que respiramos e podem contribuir para problemas de desenvolvimento, infertilidade, cancro, entre outros efeitos negativos”, explica.

Esta aplicação permite “fazer scan do código de barras do produto. Caso a informação já esteja disponível na base de dados, esta pode ser usada para decidir avançar com a compra ou não. Caso a informação ainda não esteja disponível, pode ser enviado um pedido de informação automático através da app”.

Segundo a Zero, a Scan4Chem, “que está associada a uma base de dados europeia, ainda não tem muita informação disponível, dado que ainda não são muitas as empresas que disponibilizaram a informação sobre os artigos que produzem e/ou comercializam”.

Por isso, é necessário “passar a mensagem às empresas que os cidadãos querem ter informação sobre a presença de substâncias perigosas nos produtos que compram e utilizam no seu dia-a-dia. Cada pedido apresentado também reforça a mensagem junto dos fornecedores, que não devem usar substâncias químicas perigosas nos seus produtos e devem procurar alternativas mais seguras”.

A app Scan4Chem já está disponível no sistema IOS e Android.

Envie este conteúdo a outra pessoa