Jovens portugueses com acesso limitado a alimentos saudáveis 0 209

Segundo um estudo denominado por “Household food insecurity and socio-demographic determinants in young adults: findings from a Portuguese population-based sample”, realizado por investigadores portugueses do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto, e publicado na revista científica “International Journal of Public Health”, baixos salários e dificuldades financeiras estão entre entre as principais causas para os problemas alimentares dos jovens portugueses.

Este estudo português chegou à conclusão de que um em cada nove jovens portugueses vive em situação de insegurança alimentar. O que significa que vivem num agregado familiar onde existe um acesso limitado a alimentos ou onde o que comem não é o denominado por alimentação saudável.

A investigação chegou à conclusão de que a situação sociodemográfica das pessoas influencia a sua alimentação. Fatores como viver em casa dos pais, ter família própria, a profissão ou o nível de escolaridade influenciam a nutrição dos participantes.  Quem tem família própria está numa situação de maior risco face a quem ainda vive com os pais. Os investigadores entendem que ter família própria e baixos níveis de escolaridade estão entre as principais causas para uma alimentação desequilibrada.

Os investigadores deixam a recomendação para que sejam criadas medidas públicas de apoio aos jovens para que não deixem de ser uma alimentação adequada por motivos financeiros.

Este estudo teve a participação de 954 jovens de 26 anos, da região do Porto. Foi realizado em 2016, numa fase em que Portugal tentava recuperar da crise económica. Nessa altura, cerca de 11% dos jovens com 26 anos que foram entrevistados indicaram ter dificuldades em manter uma dieta saudável e equilibrada.

Envie este conteúdo a outra pessoa