INSA apresenta estudo sobre a rotulagem nutricional nos cereais de pequeno-almoço 558

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), através do seu Departamento de Alimentação e Nutrição (DAN), realizou um estudo denominado por “A rotulagem nutricional simplificada na avaliação de cereais de pequeno-almoço”.

O estudo da autoria de Filipa Matias, Mariana Santos, Ricardo Assunção e Isabel Castanheira, foi publicado no Boletim Epidemiológico Observações, publicação científica periódica editada pelo Instituto Ricardo Jorge.

Esta investigação teve como objetivo “classificar a qualidade nutricional de cereais de pequeno-almoço pela aplicação de dois sistemas de rotulagem FoP: o Semáforo nutricional e o Nutri-Score”, indica o INSA no seu portal.

De acordo com os resultados deste estudo, “embora os cereais de pequeno-almoço possam ser geralmente considerados uma escolha alimentar saudável, o elevado teor de açúcares presente em alguns produtos disponíveis no mercado português pode comprometer a sua adequação a uma alimentação saudável”.

Observou-se que com a aplicação do semáforo nutricional, apenas um dos cereais foi classificado com quatro verdes em simultâneo (melhor classificação obtida) e que apenas dois cereais foram classificados com dois vermelhos em simultâneo (pior classificação obtida). No entanto, foi atribuída a cor vermelha ao teor de açúcares a 56% dos cereais, bem como a 86% dos cereais infantis.

Na aplicação do sistema Nutri-Score, a cor amarela foi atribuída a 60% dos cereais de pequeno-almoço avaliados, bem como a 57% dos cereais infantis e a 64% dos cereais não infantis. A nenhum dos produtos avaliados foi atribuída a cor Laranja-escuro, categoria de menor qualidade nutricional.

Dos 50 cereais de pequeno-almoço analisados neste estudo, apenas 18% foram considerados saudáveis.

Consulte o estudo completo aqui.

Envie este conteúdo a outra pessoa