Fast Heroes desafia todos os portugueses a usar uma máscara para salvar a vida dos avós 271

O Carnaval está a chegar e a pandemia da COVID-19 não deve ser motivo para que este não seja celebrado. Durante a próxima semana, a campanha “Fast Heroes 112” incentiva todas as crianças e os seus familiares a assinalarem a data através da publicação de fotografias a usarem máscaras de super-heróis. Esta é uma iniciativa que procura mobilizar os mais novos para a educação sobre os sintomas do Acidente Vascular Cerebral (AVC) e a necessidade de uma ação rápida, tornando os mais novos nos super-heróis lá de casa.

Para participar, basta tirar uma fotografia a usar uma máscara de super-herói e partilhá-la nas suas redes sociais com a hashtag #FastHeroesRecord, não esquecendo a identificação das contas oficiais da Fast Heroes de Portugal (Instagram e Facebook). Se não tiver nenhuma máscara, pode imprimir e recortar a sua aqui.

Além deste desafio, está ainda em vigor uma campanha que pretende chegar ao maior número de pessoas a nível mundial e continuar a educar as famílias. Para isso, o objetivo é chegar a um Recorde Mundial oficial, criando o maior álbum de fotos online de pessoas com máscaras de super-heróis. Como tal, todas as fotografias partilhadas durante a próxima semana podem servir para um bem ainda maior. Para isso, basta aceder ao site oficial e enviar as fotografias que quiser, desde que sejam todas diferentes.

Jan Van Der Merwe, responsável pela campanha FAST Heroes refere que “agora, mais do que nunca, torna-se crucial estimular as crianças, incentivando-as a aprender enquanto se divertem. Este desafio tem como objetivo assinalar uma data adorada por tantas crianças enquanto salvaguardamos a futura segurança dos seus avós”.

Atualmente, o AVC continua a ser uma das principais causas de morte em Portugal, sendo também a principal causa de morbilidade e de potenciais anos de vida perdidos do conjunto de doenças cardiovasculares. Muitas das vezes, isto significa a perda de um dos avós para mais uma criança devido a consequências que podem ser evitadas se os doentes conseguirem chegar ao hospital e receber o tratamento adequado a tempo.

Este desafio surge então a propósito da iniciativa “Fast Heroes 112”, que tem como objetivo alertar para a importância de atuar o mais rapidamente em caso de AVC, evitando desfechos mais negros. No entanto, os doentes-alvo do AVC são maioritariamente pessoas com cerca de 70 anos, o que dificulta o alcance das campanhas de sensibilização.
“Para contrariar isto, a campanha incentiva as crianças entre os 5 e os 9 anos a tornarem-se em veículos de educação para os restantes familiares relativamente aos sintomas desta doença e à necessidade de uma ação rápida. Com a preciosa ajuda dos mais pequenos, o objetivo passa então por evitar que os doentes de AVC cheguem demasiado tarde ao hospital, uma vez que esta é a patologia mais suscetível de ser prevenida.” reforça Jan Van Der Merwe.

A iniciativa foca-se em três super-heróis reformados que têm um superpoder que ajuda a recordar os sintomas mais comuns do AVC, os 3 F’s: FACE que começa a descair de um lado, um braço que subitamente perde a FORÇA e não conseguir Falar nem duas palavras.

A iniciativa foi desenvolvida em parceria com o Departamento de Políticas Educativas e Sociais da Universidade da Macedónia e conta com o apoio da Organização Mundial de AVC, da Sociedade Portuguesa do AVC e da Iniciativa Angels. Os materiais estão já disponíveis em várias línguas, incluindo o Português, sendo que a inscrição das crianças pode ser feita por um familiar ou educador em https://pt-pt.fastheroes.com/involve-a-child/.

Envie este conteúdo a outra pessoa