Estudo mostra sinais que permitem a deteção precoce de distúrbios alimentares 0 269

Um estudo realizado pela Universidade de Swansea, no País de Gales, Reino Unido, revelou que as pessoas diagnosticadas com distúrbios alimentares tinham uma maior probabilidade de sofrer de outras doenças mentais e de ter tomado certos tipos de medicação nos anos anteriores ao diagnóstico.

Através da observação de registos anónimos de saúde de pacientes de médicos de família e de hospitais do País de Gales, os investigadores descobriram que 15.558 pessoas foram diagnosticadas com distúrbios alimentares, entre 1990 e 2017.

Nos dois anos anteriores ao diagnóstico, este grupo de pessoas sofreu de doenças mentais, tais como distúrbios da personalidade, alcoolismo, depressão e lesões ou automutilações. Para além disso, tomaram medicamentos para o sistema nervoso central, como antipsicóticos e antidepressivos, assim como gastrointestinais e suplementos dietéticos.

Outra das situações analisadas teve a ver com as receitas prescritas por médicos, que ao serem em maior quantidade que o normal, mostram que os pacientes estão com dificuldades em tratar os seus sintomas.

Estes sinais permitem a deteção precoce de distúrbios alimentares e aponta para uma necessidade clínica de intervir mais depressa.

Envie este conteúdo a outra pessoa