Estudo: Comer cebola e alho pode reduzir o risco de cancro da mama 539

Um estudo publicado na “Nutrition and Cancer” e na “Science Daily“, indica que tanto o alho como a cebola são capazes de diminuir o risco de cancro da mama entre as mulheres.

A investigação foi encabeçada pelo estudante de doutoramento em epidemiologia Gauri Desai, da Escola de Saúde Pública e Profissões de Saúde da Universidade de Buffalo, nos Estados Unidos, Contou com a participação de Michelle Schelske-Santos, Cruz Nazario, Rosa Rosario-Rosado, Imar Mansilla-Rivera, Farah Ramírez-Marrero, Jing Nie, A. Myneni, Zuo-Feng Zhang, e com Jo Freudenheim e Lina Mu como orientadoras.

O estudo foi motivado por evidências cientificas anteriores, que já mostravam os benefícios da cebola e do alho na proteção desta doença.

Segundo o estudo, as mulheres que comeram os dois alimentos por dia apresentaram uma redução de risco de 67% de virem a padecer de tumores mamários, comparativamente com as participantes que nunca consumiam nem alho ou cebola.

Lina Mu, investigadora e autora sénior do estudo, explicou que os dois ingredientes são ricos em flavonóides e compostos organossulfários, que incluem propriedades anticarcinogénicas.

“Estes compostos mostram propriedades anticarcinogénicas em seres humanos, bem como em animais”, explicou.

A investigação foi realizada entre 2008 e 2014, com 314 mulheres que sofriam de cancro da mama e 346 para controlo, com idades entre os 30 e os 79 anos. Foi realizado em Porto Rico por ser um local onde as mulheres consomem grandes quantidades de cebola e alho, em comparação com muitas regiões da Europa e dos Estados Unidos. A escolha de Porto Rico recaiu também devido às taxas mais baixas de cancro da mama na população, quando comparadas às taxas do continente norte-americano.

Envie este conteúdo a outra pessoa