Deco: Diferença entre chips e batatas fritas não é significativa 253

A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (Deco Proteste) apresentou no seu portal uma análise sobre várias marcas de chips. De fruta, legumes, arroz ou de batata doce, fritos ou no forno, são calóricos, e “comparados com a batata frita, as diferenças não são muito significativas”, indica.

A Deco começa por apontar que os “chips vegetais fritos ou assados no forno pretendem posicionar-se como saudáveis, contribuindo para o consumo de vegetais e até como alternativa às clássicas batatas fritas, tiras de milho e afins”, contudo a verdade não é bem essa.

Esta análise verificou que os “chips de forno são menos calóricos do que os fritos (429 versus 515 kcal por 100 gramas), pois não contêm gordura adicionada. Por 100 gramas, os lípidos (gordura) são apenas de 14 gramas. Já nos fritos representam 32 gramas. A quantidade de hidratos de carbono totais também difere: 61 gramas nos chips de forno e 48 nos fritos”, indica a Deco.

Enquanto que as marcas de chips de forno analisadas são constituídas por ingredientes ricos em hidratos de carbono complexos, as marcas de chips fritos são mais ricos em hidratos carbono simples (açúcares). Os chips de fritos “revelam a maior quantidade de açúcares (20 gramas por 100 gramas), enquanto os chips de forno só contam com 4,1 gramas”, explica a Associação para a Defesa do Consumidor.

No que se refere ao teor proteico, este é superior nos chips de forno (11 g/100 g). Já os chips fritos são mais ricos em fibras (12 g/100 gramas).

Também no teor de sal verificam-se diferenças, todas elas elevadas. Os chips de forno apresentam 1,8 g/100 g, em oposição às 0,9 g dos fritos.

Posto isto, que diferença há entre chips e batatas fritas? Segundo a Deco “encontram-se relacionados, pois o seu processo de fabrico implica fritura e, nalguns casos, desidratação no forno”.

A Associação dos Consumidores analisou a composição nutricional de batatas fritas e de chips de vegetais e constatou que “as diferenças são pouco relevantes para a maioria dos macronutrientes, com exceção do teor em fibras, superior nos chips vegetais. Também o valor energético entre os dois tipos de snacks pouco varia. O mesmo aconteceu quando comparámos os chips de vegetais e as batatas de forno”.

Daqui retiramos que estes “snacks processados não substituem os alimentos frescos. São bastante calóricos e a qualidade nutricional é baixa devido ao teor de gordura saturada ou de sal ser elevado”, indica a Deco.

Aliás, o conselho é mesmo privilegiar “os vegetais frescos, como palitos de cenoura ou pepino cru. Basta lavá-los bem e cortá-los em palitos finos”.

Envie este conteúdo a outra pessoa