85% dos tutores sente que a interação com os seus animais de estimação é essencial para combater a solidão 214

Sabia que 85% dos tutores se sente menos sozinho graças à interação com os seus animais de estimação? Este é um dos dados apresentados num estudo realizado pelo Human Animal Bond Research Institute (HABRI) para a Royal Canin, marca de referência na alimentação para gatos e cães. O estudo revela ainda outros dados que demonstram que os animais de estimação representam um importante apoio e ajudam a combater a solidão, a ansiedade e o stress, especialmente em momentos complicados como o atual.

Por exemplo, 76% dos inquiridos revelam que passaram melhor o período de isolamento social graças à companhia dos seus animais de estimação, e 72% considera que a interação entre humanos e animais de estimação é positiva para a sua comunidade. Cerca de 80% dos tutores asseguram que os seus animais de estimação os ajudam a sentir-se mais acompanhados e 54% confessa que os ajudam a relacionar-se com outras pessoas. Estes dados juntam-se assim aos de inúmeros estudos já existentes sobre os efeitos positivos de conviver com animais de estimação, como os desenvolvidos pelo Waltham Petcare Science Institute, que dão particular destaque aos benefícios emocionais, sociais e de saúde.

Sem dúvida os animais de estimação dão-nos muito e a melhor forma de os tutores lhes agradecerem é garantindo a sua saúde e bem-estar. Neste sentido, a Royal Canin partilha uma série de conselhos para ser um tutor responsável, tanto na preparação para acolher um animal de estimação no seu lar, como para assumir este que é um compromisso para toda a vida.

A importância de tomar uma decisão ponderada:
A Royal Canin recomenda fazer as seguintes perguntas antes de acolher um animal de estimação:
1. Porque é que quero um animal de estimação? Há vários motivos para querer acolher um animal de estimação, mas o mais importante é ter sempre em mente as responsabilidades e obrigações que cuidar de animal de estimação implica. Na hora de planear acolher um gato ou um cão, se vive com outras pessoas, é fundamental que todos os membros do lar estejam de acordo com essa decisão.
2. Tenho tempo suficiente? Passeios, atividades, alimentação, brincadeiras e higiene são atividades diárias necessárias quando se tem um animal de estimação e, por isso, precisamos de garantir que temos tempo para incluir estas atividades na rotina diária.
3. Posso assumir um compromisso a longo prazo? A esperança média de vida dos animais de estimação é alta, ronda os 10/15 anos dependendo da espécie, e este é um dado a ter em conta na hora de assumir este compromisso. Uma parte crucial deste compromisso implica também cuidar da saúde e do bem-estar do animal de estimação, tendo em conta aspetos como o cuidado veterinário, a alimentação e a sua educação.
4. Tenho condições financeiras para ter um animal de estimação? Cuidar de animais de estimação requer investimentos regulares em alimentos, visitas regulares ao veterinário, tratamentos ocasionais e outras despesas.

Planeie a sua chegada:
Se depois de fazer as perguntas acima for claro que quer tornar-se tutor de um gato ou cão, o próximo passo será decidir que tipo de animal irá acolher. Nesse sentido, é pensar nas questões abaixo:
• Analise o seu lar e o seu estilo de vida. Cada animal de estimação e cada raça tem características diferentes, que devem ser tidas em conta antes de decidir qual será o animal ideal para nós. Por exemplo, se passa muitas horas fora de casa, poderá ser mais recomendado acolher um gato do que um cão. No caso dos cães é preciso ter em conta a sua necessidade de exercício, que é maior nos cães de grande porte do que nos de pequeno porte. Olhando para a idade, os gatinhos e os cachorrinhos requerem mais cuidados e dedicação, fator importante para avaliar se um animal adulto não seria mais adequado.
• Informe-se sobre a instituição ou criador. Ser um tutor responsável começa com uma adoção ou aquisição responsável, e o local onde acolhe o seu animal de estimação é uma decisão importante e pode fazer a diferença também na vida de outros animais. Escolher uma instituição ou criador responsável, que cumpre as políticas de bem-estar animal e que desenvolve a sua atividade de forma legal, é o primeiro passo para uma adoção ou aquisição responsável. Pode também resgatar um animal abandonado que esteja na rua, mas verifique primeiro se não estará apenas perdido – vá com ele ao médico veterinário para verificar se tem microship e está registado em nome de alguém.
• Informe-se das condições e dos cuidados que o animal que escolheu vai precisar. Além de toda a informação sobre as suas características, comportamento e saúde, é importante ter em conta o que o animal irá necessitar ao chegar à casa nova (caminha, comedouro e bebedouro, brinquedos e caixa de areia e arranhador no caso dos gatos, e também de que forma podemos proteger o seu ambiente).
• Agende uma primeira visita ao médico veterinário. Esta primeira visita será essencial para garantir a vacinação e desparasitação e fazer um check-up geral de saúde. Também é o momento ideal para procurar o aconselhamento do médico veterinário no que toca à alimentação, treino, educação e socialização do animal. É importante recordar que deve levar o seu animal de estimação a consultas de check-up geral de saúde pelo menos uma vez por ano.

Sobre a Royal Canin
A Royal Canin Company é uma secção da Mars Petcare e um líder global em saúde através da nutrição para gatos e cães.
Fundada há mais de 50 anos pelo veterinário francês Jean Cathary, o objetivo da Royal Canin é criar um mundo melhor para os animais de estimação, desafiando os limites da nutrição e do conhecimento em colaboração com profissionais e especialistas em animais de estimação.
A Royal Canin colabora com profissionais do mundo dos animais de estimação, como criadores e veterinários, não só para produzir uma nutrição precisa para gatos e cães, mas também para desenvolver uma variedade de ferramentas e serviços que ajudam a compreender e cuidar melhor dos animais de estimação.
A sua abordagem única coloca as necessidades nutricionais de gatos e cães no centro do processo de inovação. A sua idade, tamanho, raça e nível de atividade são estudados através da ciência e observação para produzir dietas que respondam às necessidades específicas de cada animal de estimação.
A empresa segue práticas sustentáveis, nomeadamente em termos de recursos responsáveis, emissões, minimização de resíduos e utilização sustentável de embalagens.
A Royal Canin, que opera em 100 mercados, tem cerca de 7.800 associados, incluindo 500 nutricionistas veterinários. Coordena ainda 16 fábricas em todo o mundo, 1 centro de I&D, 2 centros de inovação e 4 laboratórios. Os produtos nutricionais da Royal Canin estão disponíveis em lojas especializadas de alimentação para animais de estimação e clínicas veterinárias e hospitais em todo o mundo. Saiba mais em www.royalcanin.com.

Envie este conteúdo a outra pessoa