ON aplaude Plano Nacional da Alimentação Equilibrada e Sustentável 574

A Ordem dos Nutricionistas (ON), emitiu um comunicado, a aplaudir o Plano Nacional da Alimentação Equilibrada e Sustentável (PNAES), iniciativa do do Ministério da Agricultura, apresentado esta quarta-feira, dia 24 de novembro, no Centro de Experimentação Agrária de Tavira, no Algarve.

“A Ordem dos Nutricionista saúda o Ministério da Agricultura pela criação do Plano Nacional da Alimentação Equilibrada e Sustentável, uma iniciativa que disponibiliza 5 milhões de euros e que tem como objetivo dotar os territórios de uma equipa técnica, nomeadamente de nutricionistas, capazes de implementar um plano de ações de sensibilização, que promovam a adoção de uma alimentação saudável, económica e amiga do ambiente”, indica a nota divulgada.

O Plano Nacional da Alimentação Equilibrada e Sustentável, baseia-se em quatro eixos: Consumo, Produção, Dieta Mediterrânica e Educação e Literacia Alimentar. Tem como intuito promover hábitos alimentares saudáveis, identificar produtos alimentares de produção local e sazonal e reduzir o desperdício alimentar.

Para Alexandra Bento, bastonária da ON, “este Plano configura-se como um passo fundamental na garantia do direito humano a uma alimentação adequada e a salvaguarda do nosso planeta”.

A bastonária, citada no documento, acrescenta ainda que esta é uma medida apoiada pelos nutricionistas.

“Contem com os nutricionistas para operacionalizar este plano e desenvolver ambientes facilitadores de escolhas alimentares mais saudáveis e amigas do ambiente, enquadradas, naturalmente, naquilo que é a Dieta Mediterrânica”, defendeu.

Este Plano vai ser materializado por uma equipa interdisciplinar, nomeadamente por nutricionistas.

Com a iniciativa, o Ministério da Agricultura pretende “estimular a produção nacional; promover a adoção de sistemas de produção e distribuição mais sustentáveis, com base nas cadeias curtas de abastecimento e nos sistemas alimentares locais; valorizar os produtos endógenos de qualidade; valorizar e salvaguardar a Dieta Mediterrânica, enquanto sistema e padrão alimentar caraterístico do território nacional, criando e promovendo estímulos à sua adesão; e sensibilizar e aconselhar os consumidores e a população em geral para a adoção de uma alimentação nutricionalmente equilibrada e informada”.

“Entre os objetivos do plano, a Ordem destaca a valorização da Dieta Mediterrânica, um padrão alimentar com uma oferta predominantemente de origem vegetal e amiga do ambiente, de proximidade, e que integra uma enorme biodiversidade de produtos sazonais”, sublinha a nota da ON.

Envie este conteúdo a outra pessoa