Linde Saúde realiza simpósio para profissionais de saúde sobre o papel da Telessaúde para otimizar resultados na gestão da doença crónica 125

14 de novembro | 9h30 | Simpósio Linde Saúde

Lisboa, 12 de novembro de 2020 – “Telessaúde: uma adjuvante na abordagem integrada das doenças crónicas” é o tema em destaque no Simpósio da Linde Saúde para profissionais de saúde. A sessão realiza-se no próximo dia 14 de novembro, às 9:30 horas, no 36.º Congresso de Pneumologia, organizado pela Sociedade Portuguesa de Pneumologia, e tem como objetivo discutir o papel da monitorização remota de doentes crónicos, abordando o contexto atual de pandemia da COVID-19.

“A Telessaúde é um conceito muito abrangente e engloba, entre outros, a teleconsulta e a telemonitorização e, com a pandemia da COVID-19, assume um papel cada vez mais relevante para conseguirmos assegurar a continuidade dos cuidados aos doentes crónicos. Neste sentido, face ao contexto atual que tem permitido explorar a saúde digital em Portugal, este simpósio representa mais um passo nessa direção, onde podemos refletir, com alguns exemplos práticos, o papel da Telessaúde como adjuvante da prestação de cuidados”, afirma o João Tiago Pereira, Product & Business Development Manager na Linde Saúde.

A sessão será moderada por Carlos Robalo Cordeiro e contará com a participação de Henrique Martins, do ISCTE-IUL, que abordará o tema “Telessaúde e a saúde digital na doença crónica”, Dulce Brito, médica no Hospital de Santa Maria, com o tema “Monitorização remota na Insuficiência Cardíaca: oportunidade para uma melhor gestão na doença crónica”, e Gonçalo Samouco, do Hospital Sousa Martins, que irá falar sobre “A experiência do Programa de Telemonitorização na DPOC da ULS Guarda”.

Face à pandemia da COVID-19, a Linde Saúde tem procurado demonstrar que a Telessaúde é fundamental no apoio e gestão de doentes com patologias crónicas, que necessitam de um seguimento próximo pelos profissionais de saúde, mas que também são de risco para infeção para a COVID-19. Neste sentido, têm sido criados diferentes programas de telemonitorização da doença crónica, sobretudo na insuficiência cardíaca e na doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC), para assegurar a acessibilidade aos cuidados de saúde a todos os doentes, e que vão ser apresentados no decorrer desta sessão.

“A experiência tem-nos mostrado que a adoção de tecnologia foi acelerada pelo contexto da pandemia, tanto pelos utilizadores finais – os doentes – como pelos profissionais de saúde. A telemonitorização tem permitido identificar precocemente as agudizações da doença crónica, criando canais diretos de comunicação entre o doente, em casa, e os profissionais de saúde, no hospital. Esta dinâmica permite que os profissionais de saúde possam intervir, muitas vezes, sem o doente recorrer ao hospital ou, em casos que seja necessário, preparar adequadamente a ida ao hospital, através de fluxos com menor risco de contágio pelo vírus Sars-CoV-2”, acrescenta ainda João Tiago Pereira.

Mais sobre a Linde Saúde:
A Linde Saúde é a empresa do Grupo Linde plc que se dedica à prestação de cuidados de saúde domiciliários, em Portugal, assistindo maioritariamente doentes com patologia respiratória crónica que necessitam de tratamento de oxigenoterapia, ventiloterapia e aerosolterapia. A Linde Saúde foi reconhecida duas vezes consecutivas com o Prémio Cinco Estrelas de 2020 e 2019 na categoria de cuidados e serviços ao domicílio, setor onde já é líder de mercado mundial. O que distingue a Linde Saúde é a aposta em tecnologia inovadora e em profissionais altamente qualificados e especializados, permitindo desta forma adequar respostas às necessidades do doente e dos profissionais de saúde. A Linde Saúde assiste mais de 75.000 doentes em Portugal e mais de 1,6 milhões em mais de 50 países, utilizando a experiência e boas práticas para satisfazer os seus clientes.

Envie este conteúdo a outra pessoa