Cinco dicas fundamentais para melhorar a saúde das suas costas 173

A pandemia originada pela Covid-19 obrigou a uma mudança de hábitos e o regresso ao trabalho está a ser feito de forma gradual. Contudo, com o aumento do teletrabalho e das horas à frente do computador, a campanha “Olhe Pelas Suas Costas” reforça que os cuidados com a coluna não podem ser esquecidos e que devem ser adotados novos hábitos como a prática de exercício físico, sendo que a falta de tempo não deve ser uma barreira.

“As dores nas costas são a segunda causa mais frequente de ida à urgência hospitalar e representam mais de 50% das causas de incapacidade física em idade ativa. Para combater estes números, os adultos saudáveis devem, idealmente, praticar cerca de 150 minutos semanais de atividade física moderada, sendo que devem ser considerados períodos de duração mínima de 10 minutos.” alerta Bruno Santiago, neurocirurgião e coordenador da campanha nacional “Olhe pelas suas costas”

Segundo o programa nacional para a atividade física da Direção-Geral de Saúde (DGS), de 2017, apenas 27% da população nacional com mais de 14 anos é considerada “ativa” e 30,3% é “moderadamente ativa”. E, segundo o mesmo relatório, 33% das pessoas com mais de 15 anos residentes em Portugal indicaram a falta de tempo como uma barreira à prática de atividade física e 26% apontam a falta de motivação ou interesse e 19% disseram ser demasiado caro.

Melhorar a saúde das costas, no entanto, não tem de ocupar muito tempo nem custar muito dinheiro. A campanha “Olhe pelas suas costas” partilha cinco dicas fundamentais para ter em conta na prática de exercício físico:
• Qualquer atividade física é melhor do que não fazer nenhuma, por isso é importante aproveitar oportunidades como a ida para o trabalho ou o intervalo de almoço para fazer caminhadas;
• A lógica anterior também se aplica ao tempo. Se os exercícios forem feitos de forma regular, mesmo com apenas 10-20 minutos diários, ajudam a prevenir as dores nas costas e as lesões da coluna vertebral;
• Os exercícios que implicam dobrar a coluna (flexão do tronco) devem ser evitados, pois podem aumentar o risco de lesões dos discos da coluna vertebral. Geralmente não se recomendam exercícios que retiram a coluna da sua posição natural;
• Nunca se esqueça que a prática de exercício físico pode ser benéfica se for adequada à sua situação, caso contrário pode ser prejudicial se tiver outros problemas de saúde. Deve por isso pedir sempre aconselhamento a um profissional de saúde;
• O exercício não é só feito no ginásio, há pequenos gestos e atividades que podemos fazer em casa, incluindo preferir as escadas ao elevador, dedicar alguns minutos à prática de ioga ou a exercícios de alongamento e fortalecimento muscular abdominal e lombar.

Bruno Santiago, reforça que “o exercício físico é o pilar da prevenção e dos tratamentos dos problemas relacionados com a coluna. Como tal, torna-se imperativo adotar hábitos físicos que reforcem o bem-estar da coluna. A coluna não está adaptada para passarmos tanto tempo sentados e fazermos pouco exercício físico. Além disso, devemos dosear o esforço que é feito, visto que em determinadas profissões poderá provocar lesões.”

Envie este conteúdo a outra pessoa