Notícias

Estudo: A alimentação influencia mais o bem-estar das mulheres do que o dos homens

 

 

14 de setembro de 2018

As escolhas alimentares das mulheres têm um impacto elevado no seu bem-estar emocional, refletindo-se de forma mais óbvia do que nos homens, indica um estudo da Universidade de Binghamton, em Nova Iorque, nos Estados Unidos.

 

A investigação, desenvolvida por uma equipa de investigadores americanos, concluiu que as mulheres precisam «de um espectro maior de nutrientes para conseguirem ter bom humor relativamente aos homens», referiu Lina Begdache, professora no Departamento de Estudos de Saúde e Bem-Estar daquela universidade.

 

No caso das mulheres, foram encontradas ligações entre o bem-estar positivo e o consumo de uma dieta mediterrânica, que se baseia na ingestão de alimentos naturais e não processados, legumes, leguminosas e frutas, bem como em saladas com azeite e vinagre.

 

Já os homens são mais propensos a ter uma boa saúde mental até que surjam deficiências nutricionais na sua alimentação. No entanto, o estudo identificou uma relação entre o sofrimento psicológico e o consumo de uma dieta ocidental, rica em carnes processadas e fritos.

 

Esta conclusão, que resultou da análise de 500 inquéritos em várias redes sociais, pode ser explicado pela forma como homens e mulheres se alimentavam no passado.«Machos e fêmeas tinham responsabilidades físicas e emocionais diferentes que podem ter exigido diferentes necessidades de obter energia e diferentes preferências alimentares», explicou a investigadora ao jornal"The Independent", citado na revista "Visão".